Ramim pede fiscalização no tráfego de ciclistas

| CMD/ASSESSORIA


Ramim quer que a Agetran intensifique a fiscalização para garantir mais segurança no trânsito dos douradenses. Foto: Assessoria/Arquivo

urante a sessão da Câmara Municipal, o vereador Romualdo Ramim (DEM) solicitou à Prefeitura de Dourados que a Agetran (Agência Municipal de Transportes e Trânsito) intensifique a fiscalização do tráfego dos ciclistas, principalmente na área central da cidade. Sugeriu ainda que o órgão implante campanhas de conscientização para garantir a segurança do tráfego de todos.
Ramim explicou que o pedido atende a reivindicação da população, que constantemente presencia dois grandes problemas causados pela imprudência dos ciclistas: o tráfego no sentido contrário da via e também a circulação nas calçadas, que são destinadas exclusivamente aos pedestres.
“O Código de Trânsito Brasileiro classifica a bicicleta como veículo e por isso determinou normas de comportamento também para os ciclistas. Nas ruas onde não houver ciclovias, as bicicletas devem seguir no sentido dos carros, na beira da pista e têm preferência sobre os veículos motorizados”, disse o vereador.
Com o crescimento da cidade, a mobilidade urbana deve ser priorizada pelo poder público, pois ele é o único responsável por sua melhoria e adequação. Mas este é um problema que a maioria dos municípios brasileiros enfrenta e tem dificuldade de solucionar.
De acordo com Ramim, Dourados possui uma frota de 140 mil carros que circulam diariamente pelas vias da cidade, principalmente na área central, disputando espaço com os demais veículos e “nessa disputa a corda sempre arrebenta do lado dos ciclistas que são obrigados a utilizar a calçada para circular por não possuírem uma pista própria”. Com isso, mais um grave problema surge: o risco de colisão com os pedestres como já foi presenciado por alguns comerciantes.
"Muitos cidadãos desrespeitam as leis de trânsito por vontade, mas outros por desconhecimento. Por exemplo, os veículos automotores devem permanecer a uma distância de 1,5 metro dos ciclistas, mas poucos sabem disso. Ainda, as bicicletas têm preferência sobre os veículos automotores e cabe a estes a responsabilidade pela segurança do ciclista", apontou Ramim.
O ciclista que conduzir sobre a calçada pode ser multado, já que o ato é considerado uma infração média e pode ter ainda a bicicleta apreendida. Quando o condutor desce da bicicleta, ele é um pedestre comum, deve andar na calçada, empurrando o veículo e só pode voltar a circular na pista de rolamento se voltar a pedalar.
“Todos somos responsáveis no trânsito e precisamos respeitar as leis de trânsito para garantir a segurança de todos, independentemente da modalidade de transporte que utilizam, isso sim é desenvolvimento com justiça social", concluiu o vereador.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE