Umidade em níveis críticos e calor acima dos 35°C devem se manter nos próximos dias

| GOVMS / MIRELI OBANDO


O tempo seco, quente e sem chuva em boa parte do País é resultado de um bloqueio atmosférico. Essa condição contribui para a manutenção do tempo firme, elevação das temperaturas e também para o agravamento dos índices de umidade do ar nesta quinta-feira (19). 

Em Mato Grosso do Sul o sol brilha forte entre poucas nuvens ao longo do dia, e ao mesmo tempo que o calor predomina, a qualidade do ar fica muito baixa, podendo chegar aos 10% durante a tarde em diversas áreas. 

As temperaturas devem se manter elevadas ao longo do dia, acendendo alerta para os cuidados com a saúde e também com as queimadas. A variação está estimada entre 15°C a 39°C, registrando mais um dia com grande amplitude térmica no Estado. 

Registros e tendências 

Na última terça-feira (17) Campo Grande bateu novo recorde de calor para o ano de 2021, com a temperatura máxima de 36,8°C, superando o recorde anterior de 34,9°C de 2 de janeiro de 2021. 

Os registros são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) que também apontou alguns municípios de Mato Grosso do Sul entre os mais secos do País. Três Lagoas teve apenas 12% de umidade, seguida de Coxim com 13%. A capital Campo Grande, Cassilândia e Costa Rica registraram 14%. 

Ontem (18) a maior temperatura foi registrada em Corumbá atingiu 40,4°C  e umidade relativa do ar mínima de 11%. Na Capital a máxima registrada foi de 36,5°C  e umidade do ar 14%.  

Tendência de evolução das temperaturas máximas  para os próximos 7 dias mostra que o calor só deve se despedir da metade pro fim da próxima semana. Até lá, a expectativa é de que as maiores temperaturas deste inverno sejam registradas neste período. 

Uma mudança de padrão deve ocorrer por volta do dia 26, com o avanço de uma frente fria pela Região Sul representando o enfraquecimento do bloqueio atmosférico e consequentemente, temperaturas mais agradáveis e pequena melhora na umidade. Vale reforçar que é necessário acompanhar as próximas previsões. 

Mireli Obando, Subcom

Foto: Saul Schramm



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE