Juscelino cobra explicações sobre baixa produção de fábrica municipal de massa asfáltica

| CâMARA DOURADOS / ASSESSORIA


Vereador questionou produção abaixo do esperado em fábrica de massa asfáltica do município Foto: Valdenir Rodrigues/CMD

O vereador Juscelino Cabral (DEM), questionou durante a 27ª Sessão Ordinária, realizada na noite desta segunda-feira (16), a resposta enviada pela administração municipal ao requerimento de nº 216, protocolado em de abril, no qual solicitava detalhes sobre a produção municipal de massa asfáltica.

Juscelino havia pedido informações de quantas toneladas foram utilizadas pelo município nos primeiros quatro meses deste ano e ainda qual seria a capacidade mensal da usina para a fabricação da massa, usada nos trabalhos de tapa buracos da cidade.

O vereador destacou que o pedido foi feito há algum tempo e que somente no dia 19 de maio recebeu a resposta do secretário municipal de serviços urbanos, Romualdo Diniz. 

Nesta resposta, o secretário informa que até abril deste ano foram utilizadas 897 toneladas de massa asfáltica. Com relação à produção, em fevereiro foram 229 toneladas, em março 147 e em abril 333.

“O que me chama atenção é que no mês de janeiro a fábrica não produziu nada e que nossa cidade neste mesmo mês estava cheia de buracos”, pontuou Juscelino. 

A capacidade mensal de produção da fábrica é de 2.400 toneladas e a resposta enviada ao vereador por parte da administração para não estarem produzindo essa capacidade é de que não possuem pessoal e nem equipamentos suficientes para utilizar de toda a produção em tempo hábil.

“Precisamos saber como nosso município, com uma fábrica de massa asfáltica com todo esse potencial, não está produzindo. E qual será a solução da gestão para esse problema, pois temos a fábrica e não produzimos, porquê?”, destacou.

Demais indicações

Juscelino também fez indicação direta ao prefeito Alan Guedes (PP) e para a comandante da Guarda Municipal, Liliane Graziele Céspedes de Souza Nascimento, solicitando a fiscalização da Guarda os semáforos para inibir os malabaristas.

“É um tema delicado, mas que cada vez mais incomoda e coloca em risco a vida dos munícipes, pois as apresentações são realizadas na faixa de pedestres, que serve para dar segurança a quem passa na via”, destacou.

Ainda durante a sessão, o vereador solicitou a reforma e revitalização do ponto de ônibus localizado em frente ao Hospital Universitário, a sinalização de faixa de pedestres em frente ao Hospital da Cassems e um estudo visando a instalação de semáforo na Rua Ponta Porã com a Rua Albino Torraca.   



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE