Após 50 anos, escola Menodora passa por completa reforma

| DOURADOS AGORA


Reformas já iniciaram na escola

11/08/2021 07h33 - Por: Da redação

A tradicional Escola Estadual Menodora Fialho de Figueiredo, conhecida como Escola Menodora passará pela primeira vez nos seus 50 anos de história por uma reforma completa. A empresa Empreiteira Central, vencedora da licitação do governo estadual, já iniciou a reforma na qual serão investidos aproximadamente R$ 5,5 milhões, recursos oriundos do governo Estadual e Governo Federal.

A obra prevê reforma, revitalização e moderna infraestrutura para todos os espaços, instalação de laboratórios, melhoria na fachada e intervenções na cobertura para garantir maior qualidade de atendimento aos estudantes, servidores, colaboradores e à comunidade.

O diretor Alaor Fonseca Filho destaca que há 12 anos a comunidade escolar aguarda por essa notícia. 'A escola tem 50 anos e a última vez que passou por melhorias foi em 2009. Estamos todos muito felizes e na expectativa de uma nova Escola Menodora', explica.

Durante o período da reforma, a escola atenderá os alunos e a comunidade em um local provisório. O novo local de atendimento não será muito distante do atual e é totalmente adequado ao atendimento dos estudantes.

A direção da escola informa que em breve anunciará a data do início do antendimento em outro local, bem como endereço, localização e rotas de ônibus.

'Existe muita ansiedade de toda a comunidade em relação a essas novidades. Orientaremos adequadamente nossos alunos, pais e comunidade para que tudo transcorra com tranquilidade, sem prejuízos à aprendizagem', afirma o diretor.

A mãe e presidente da Associação de Pais e Mestres Márcia da Silva Gomes agradece ao governador Reinaldo Azambuja, que, com esta reforma, mostra que é sensível aos pedidos que a Associação de Pais e Mestres e Colegiado Escolar têm feito em relação a melhorias no espaço escolar, pois isso reflete diretamente na qualidade no ensino. 'Atendendo as nossas solicitações, ele se mostra comprometido às necessidades da educação', destaca Márcia.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE