Renovada, seleção feminina de rugby é convocada para Jogos de Tóquio

Quatro das 14 jogadoras chamadas estiveram na Olimpíada Rio 2016

| LINCOLN CHAVES


© Divulgação/CBRu

O Brasil terá uma seleção feminina de rugby renovada na Olimpíada de Tóquio (Japão). Das 14 jogadoras presentes na convocação das Yaras (como é conhecida da equipe) desta segunda-feira (28), quatro estiveram nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016: Haline Scatrut, Isadora 'Izzy' Cerullo, Luiza Campos e Raquel Kochhann, atual capitã.

A lista do técnico Will Broderick (inglês de nascimento e ex-atleta da seleção masculina) ainda reúne Mari Nicolau, Rafa Zanellato, Leila Cássia, Thalia 'Mulan' Costa, Aline Furtado, Marina 'Tchoba' Fiovaranti, Bianca Silva, Thalita Costa, Eshy Coimbra e Gabriela Lima. As duas últimas foram convocadas como suplentes. As jogadoras são oriundas de dez times diferentes. O Charrua Rugby Clube, de Porto Alegre, é quem tem mais representantes: três (Luiza, Raquel e Gabriela).

Divulgada a lista das Yaras convocadas aos Jogos de Tóquio! São 12 atletas selecionadas, e duas reservas em caso de necessidade de troca. Todas representando as demais Yaras do nosso rugby! Parabéns a todo grupo, que trabalhou com comprometimento e união! #JogueComoUmaYara pic.twitter.com/Xicz7yGvax

As Yaras ficam concentradas no centro de treinamento de São José dos Campos (SP) até o próximo dia 8, quando viajam para Nagato (Japão), onde darão sequência à preparação nas duas semanas de isolamento obrigatório que antecedem a ida para Tóquio. O torneio do rugby feminino será disputado entre os dias 29 e 31 de julho.

Também nesta segunda-feira, a World Rugby (confederação internacional da modalidade) anunciou o chaveamento da Olimpíada. A seleção feminina caiu no Grupo B, ao lado de Canadá (bronze na Rio 2016), França e Fiji. Os dois primeiros de cada um dos três grupos e os dois melhores terceiros colocados avançam às quartas de final.

Atual campeã olímpica, a Austrália encabeça o Grupo C, junto de Estados Unidos, China e do anfitrião Japão. Já a Nova Zelândia, campeã do mundo em 2018, está no Grupo A, com Reino Unido, Quênia e Rússia (que, devido a uma punição por casos de doping, não poderá competir usando a bandeira e o nome do país).

Edição: Marcio Parente



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE