Quatro cidades do Brasil disputam sediar final da Libertadores até 2023

| ROGéRIO VIDMANTAS


Arena Corinthians, Baixada, Beira-Rio e Morumbi são opções para receber final da Libertadores (Foto: Twitter Oficial/Consmebol)

A atual edição da Copa Libertadores está suspensa com apenas duas rodadas da primeira fase realizadas e sem previsão de volta por causa da pandemia do novo corovaírus. Apesar disso, a Conmebol começa nos próximos dias o processo de escolha da sede da decisão entre os anos de 2021 e 2023. Neste ano, a Libertadores termina com a decisão no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, a principio, no dia 21 de novembro.

 

Entre as cidadaes brasileiras na briga pela decisão das próximas três edições estão São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Segundo a Direção de Competições de Clubes da entidade, o primeiro passo para definir as candidaturas será a realização de um workshop por videochamada com cada postulante nos dias 25 e 26 de maio, para definir conceitos das finais e tirar todas as dúvidas para a elaboração do Dossiê de Candidatura, que deverá ser apresentado no dia 29 de maio.

 

Uma vez apresentado o Dossiê de Candidatura, a Conmebol avaliará as informações, as garantias enviadas e apresentará uma proposta de finalistas para o Conselho, que definirá as cidades que continuarão na disputa para sediar as finais.

 

As cidades finalistas serão inspecionadas quando houver condições para viagens pela América do Sul e, após as visitas de inspeção, novamente serão apresentados os relatórios ao Conselho do ente reitor do futebol sul-americano, que tomará a decisão final sobre as sedes.

 

Estádios

 

Para a decisão de 2021, doze estádios estão na lista de candidatos para sediar a decisão, cinco deles são argentinos. La Bombonera, Mnumental de Nuñez, Libertadores de América e Presidente Perón, todos em Buenos Aires, e o Estádio Mario Kempes, em Córdoba. O Estádio Nacional, de Satiago, no Chile, e o Estádio Monumental Banco Pachinca, em Guayaquil, no Equador, também. Os brasileiros são Arena da Baixada, em Curitiba, o Beira-Rio, em Porto Alegre, e a Arena Corinthians e Morumbi, em São Paulo.

 

Todos esses estádios seguem na disputa para 2022. Na lista entram ainda o Monumental e o Nacional, ambos em Lima, capital do Peru, o Centenário de Montevidéu, no Uruguai e o Maracanã, no Rio de Janeiro.

 

A situação se repete para 2023, onde todos os estádios citados anteriormente estão na disputa. Juntam-se à eles dois estádios na Colômbia. O Metropolitano Roberto Menendez, em Barranquilla, e o Atanasio Girardot, em Medelin.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE