Maio registra o pior mês da pandemia da Covid-19 em Dourados

Município contabilizou 100 mortes pela doença e registrou aumento de mais de 200% nos óbitos causados pelo novo coronavírus frente à média da pandemia na cidade

| ASSESSORIA


Com o pior número de mortes desde o início da pandemia da Covid-19 no município de Dourados, o mês de maio mostrou que os números da doença ainda estão longe de estarem controlados. Se comparados com a média de óbitos causados pelo novo coronavírus desde a chegada da doença no município, o mês que se encerrou registrou aumento de 246% no número de falecimentos, atingindo a marca de 100 mortes, frente a uma média de 31 desde o início da doença.

Os números de maio são maiores mesmo quando comparados com os de março e abril deste ano, respectivamente o primeiro e segundo piores meses da pandemia no Brasil, auge da segunda onda da doença que lotou UTIs de hospitais em todo o território Estadual. Na comparação com março, maio aponta um aumento de 49,3% no número de óbitos, enquanto na comparação com abril o crescimento foi de 2%. Em números absolutos, maio registrou 100 óbitos causados pelo novo coronavírus, março 67, e abril 98.

Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil (https://transparencia.registrocivil.org.br/inicio), base de dados abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), e podem ainda sofrer mudanças, uma vez que o prazo legal para envio de óbitos à plataforma nacional pode chegar a até 12 dias do falecimento.

"O acompanhamento mensal dos dados de óbitos no Portal da Transparência é uma forma de informação capaz de conscientizar a população através dos dados, pois quanto mais óbitos ocorrem, mais deve ser o cuidado das pessoas com os protocolos de biossegurança", explica o presidente da Arpen-MS, Marcus Roza. "Notamos que houve uma significativa redução de óbitos nas faixas de pessoas mais idosas após o início da vacinação, estando os óbitos concentrados em faixas de pessoas mais jovens que ainda não foram submetidas a vacina. Pode ser uma mera coincidência, mas pode ser também o efeito da vacina", destaca.

Maio/20 x Maio/21

Um ano depois, maio de 2021 registrou um aumento de 10.000% nos óbitos na cidade em comparação com o mesmo mês de 2020. Em números absolutos foram 100 mortes neste ano, enquanto maio de 2020 não registrou nenhum óbito.

Já no Mato Grosso do Sul, maio de 2021 registrou um aumento de 4694% dos óbitos no Estado em comparação com o mesmo mês de 2020. Em números absolutos foram 911 mortes no mês passado frente a 19 em maio do ano passado.

Sobre a Arpen-MS
Fundada em dezembro de 2012, a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de Mato Grosso do Sul (Arpen-MS) representa a classe dos Oficiais de Registro Civil de todo o Estado, que atendem a população realizando os principais atos da vida civil de uma pessoa: o registro de nascimento, o casamento e o óbito.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE