Sindicato dos Bancários e Comitê distribuem alimentos no Dia do Trabalhador

A ação fez parte da segunda edição da Campanha Solidariedade e Luta do Comitê de Defesa Popular e distribuiu mais de 90 cestas básicas a famílias carentes neste 1º de maio

| ASSESSORIA


O Sindicato dos Bancários de Dourados e Região participou na tarde deste sábado (1º) da entrega de alimentos a comunidades indígenas e periféricas de Dourados. Essas primeiras cestas foram doadas pelos sindicatos que fazem parte do Comitê de Defesa Popular e também através de doações dos associados dos sindicatos. A Campanha Solidariedade e Luta foi lançada no dia 22 de abril pelo Comitê de Defesa Popular e pelas entidades sindicais e sociais que fazem parte do Comitê.

De acordo com a diretora do Sindicato dos Bancários e representante da entidade no Comitê, Ivanilde Fidelis, (a Fifi), “A entrega de alimentos às famílias em situação de vulnerabilidade neste sábado foi simbólica pela data ser o Dia Internacional do Trabalhador, mas a campanha segue até o final do mês de maio e, é de suma importância que os trabalhadores que ainda não fizeram sua doação contribuam com a campanha, afinal quem tem fome tem pressa”.

No final da matéria você tem as informações de como fazer a sua doação

Segundo Carlos Longo, presidente do Sindicato dos Bancários de Dourados e Região, “O Brasil passa por uma grave crise política e sanitária, onde o governo federal não prioriza os menos favorecidos, o que tem levado os trabalhadores a redução salarial, subemprego, desemprego e milhões de volta ao mapa da fome. Ao participarmos de campanhas de solidariedade como esta, estamos exercendo o papel social do Sindicato e contribuindo para minimizar os impactos negativos deste momento difícil pelo qual o país está passando”.

A campanha está na sua segunda edição

A iniciativa marca o início da segunda fase da campanha lançada no ano passado, na primeira edição da ação, realizada de março a junho de 2020, o Comitê de Defesa Popular e as entidades sindicais e sociais arrecadaram mais de 10 mil reais e foram entregues mais de 360 cestas básicas a famílias douradenses.

O Comitê de Defesa Popular de Dourados acredita que “o agravamento da pandemia, somado à diminuição do auxílio emergencial pelo Governo Federal e a demora na vacinação, tem levado o Brasil a uma situação de verdadeira calamidade.” Por isso está repetindo a ação realizada no ano passado.

Para além da solidariedade - Além da campanha de arrecadação, o Comitê propõe a criação de uma Renda Mínima em Dourados que possa cobrir dignamente as necessidades alimentares de todas as famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade. Programas semelhantes estão sendo implantados em outras cidades brasileiras e cumprem função importante de atenuar as vulnerabilidades socioeconômicas. Para isso, o movimento está reunindo assinaturas em um abaixo-assinado. O documento, direcionado à Câmara Municipal e à Prefeitura de Dourados, pode ser acessado aqui



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE