Presidente da federação chilena de futebol confirma sua renúncia

| GAZETA ESPORTIVA


(Foto: Divulgação)

O presidente da federação chilena (ANFP), Sebastián Moreno, anunciou que vai renunciar ao cargo a partir de 31 de julho, abrindo uma nova crise no futebol do Chile, informou a mídia local nesta quarta-feira.

Moreno tomou sua decisão após a renúncia de três dirigentes da federação na semana passada e a pressão de vários clubes que se opõem à sua administração, como confirmado em uma carta enviada à Fifa com uma cópia para a Conmebol, cujo conteúdo foi publicado pelo jornal La Tercera.

“Embora nosso setor aceite que continue até 31 de julho, já solicitamos sua carta de saída e continue interinamente, mas sem atribuições”, disse Luis Baquedano, dirigente da União Espanhola, um dos clubes opositores, em declarações divulgadas pelo jornal El Mercurio.

A saída de Moreno começou a tomar forma em 2019, quando ocorreu a renúncia de altos funcionários da ANFP que faziam parte da administração do presidente anterior, Arturo Salah. Mas a renúncia dos três últimos dirigentes na semana passada deixou sem o quorum necessário para o conselho de administração da federação continuar se reunindo, o que enfraqueceu sua gestão.

Moreno também pediu à Fifa e à Conmebol para “atuarem como supervisores desse processo de transição” que a ANFP seguirá até sua renúncia.

A carta de Moreno respondeu a uma mensagem enviada pela Fifa solicitando informações sobre a crise que o futebol chileno está enfrentando, suspenso desde 16 de março devido à pandemia de coronavírus.

Em sua carta à Fifa, Sebastián Moreno disse que, após sua partida, espera que o “curso normal” da federação seja retomado e “que a evolução das condições sanitárias também permita o rápido retorno às atividades esportivas”.

O dirigente concordou em realizar uma votação no dia 30 de julho para eleger o novo presidente do futebol chileno.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE