Governo de MS já investiu mais de 262 milhões em reforma de escolas da REE

| SED


Enquanto os mais de 190 mil estudantes das 347 escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul estão aguardando retorno remoto das atividades no próximo dia 05 de abril, o Governo de MS, através da Secretaria de Estado de Educação (SED), por intermédio da Diretoria-Geral de Infraestrutura, Administração e Apoio Escolar (DGIAPE), está investindo na educação. Já foram, desde 2015, mais de 262 milhões investidos em reformas e intervenções nas unidades escolares da REE ede Estadual de Ensino (REE).

Neste período, foram quase 600 intervenções nas escolas da REE, como obras de acessibilidade, pintura, readequações nas partes elétrica e hidráulica e reformas gerais.  Hoje, 41 unidades escolares da Rede seguem com intervenções em curso. Somente no último ano, foram mais de R$ 37 milhões investidos.

Vespasiano Martins

Entre as instituições que receberam reforma ou intervenção, do Governo de MS, está a Escola Estadual Vespasiano Martins, na rua 13 de maio, na Vila Glória, em Campo Grande, que oferta ensino em tempo integral, através do programa “Escola da Autoria”, do 1º ao 3º ano do Ensino Médio.
Remodelada, instituição é referência no ensino em tempo integral
Em 2020 a unidade passou ano letivo atendendo os estudantes em endereço provisório, na rua Dom Aquino, 1848 (antigo Colégio Atenas), no centro de Campo Grande. No dia 1º de março a unidade recebeu novamente seus estudantes no prédio totalmente reformado e ampliado.

Com reformulação, Escola Vespasiano atende com visão acadêmica e inclusiva
A Escola passou por uma reformulação do prédio histórico, com investimento de R$ 3.078.765,52, oriundos de recursos da união e Governo de Mato Grosso do Sul. A obra, que iniciou em novembro de 2019, tinha previsão de entrega de 12 meses.

De acordo com diretor Leossandro Carlos Adaminski, os discentes, professores, coordenadores e servidores administrativos receberam uma escola completamente reformulada, que oferecerá atendimento de visão acadêmica e inclusiva.

Escola Inclusiva

Diretor Alessandro lembra que a unidade é polo em atendimento ao aluno com deficiência auditiva
O estudante do ensino médio em tempo integral, de acordo com diretor Leossandro, tem à disposição laboratório de ciências, sala de tecnologia educacional, biblioteca, quadra coberta com arquibancadas, 09 salas de aulas, banheiros com acessibilidade, rampas e elevadores e adequações para estudantes com deficiência física e intelectual, cozinha amplamente reformulada, com refeitório para atender 03 refeições, instalação de posto de transformação de 112,5 Kva, reforma em toda parte elétrica, com instalação de pontos para ar condicionado, sistema de proteção contra descargas atmosféricas, além de instalação de projeto contra incêndio e pintura geral.

Diretor lembrou ainda que a EE Vespasiano Martins é unidade polo em atendimento ao estudante com deficiência auditiva, “temos interpretes por área em sala, direção, coordenação e secretaria”, enfatiza Adaminski.

Retorno remoto

Estudantes veteranos foram acolhedores dos novatos no início de março com unidade reformada
Os 231 estudantes do ensino médio em tempo integral, divididos em 09 turmas do 1º ao 3º ano, foram acolhidos pelos 25 professores e 18 servidores administrativos, “hoje o retorno das atividades, inicialmente remota e, possivelmente, daqui alguns meses de forma híbrida, teremos espaço físico totalmente novo, a expectativa é enorme, tanto por parte dos professores e administrativos, quanto dos estudantes, os relatos são de saudades da convivência escolar, já que todos ficaram praticamente o ano de 2020 em teletrabalho”, relata Adamiski.

Com relação ao retorno do ano letivo o diretor menciona que todo preparativo foi devidamente organizado, “inicialmente fizemos acolhida e o trabalho é remoto, acreditamos num retorno tranquilo, professores e administrativos já realizaram a jornada pedagógica estendida, os pais e responsáveis já receberam orientações sobre protocolo de biossegurança, agora estudantes estão sendo acolhidos”, finaliza diretor.

Estudante terceiranista Gustavo Felipe da Silva foi um dos acolhedores no início do ano letivo
O estudante do terceiro ano do Ensino Médio, Gustavo Felipe da Silva Souza diz que o momento é de extrema importância devido a transição dos estudantes para a busca no ensino superior, “ estou bem ansioso, nós do terceiro ano acolhemos os estudantes novos, realizamos um projeto de acolhimento durante um mês que foi levado à prática, quanto ao ano letivo temos convicção que será melhor, pois aprendemos com os erros do ano passado e temos uma escola capacitada para nos receber e acolher para que tenhamos uma excelente aprendizagem”, relata.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE