Trabalhadores da Funsaud ameaçam paralisar atividades

| DOURADOS AGORA


Os servidores da Fundação de Serviços de Saúde (Funsaud) não descartam um movimento de paralisação para fazer valer o documento contendo 20 reivindicações, protocolado na quarta-feira (17) na Prefeitura.

Após realizarem um ato de reivindicações sobre direitos trabalhistas e compromissos financeiros que não vem sendo cumpridos pelo Município, os trabalhadores queriam falar com o prefeito Alan Guedes (PP), que repassou a missão para o secretário de Governo, Henrique Sartori.

Os trabalhadores reivindicam o pagamento de três férias atrasadas, o período de 1 ano e 8 meses de depósitos relacionados ao FGTS não recolhido pela Fundação, o reconhecimento do concurso realizado pela instituição em 2015 e a apuração das práticas de assédio moral por parte de diretores da Funsaud com servidores.

Sartori prometeu receber as lideranças para falar sobre o atendimento das reivindicações hoje (23), porém, na tarde desse dia 22 prorrogou o encontro com a categoria para o dia seguinte, amanhã (24), e mudou o local para a sede da Funsaud.

O secretário prometeu ao grupo formado pelos servidores Elisângela Gomes, Claudinei Moreira, Ângelo Miranda e Marcia de Oliveira, interceder junto à direção da Funsaud e na área econômica para apresentar respostas concretas.

Mais reivindicações

Ontem, também, o prefeito Alan Guedes experimentou o quarto protesto na porta do Gabinete, quando comerciantes do setor de bares, restaurantes e conveniências foi pedir flexibilização nas regras do toque de recolher imposto a partir de decreto do Governo do Estado. Antes deles, além dos servidores da Funsaud, a atual administração, que completa 80 dias, já sentiu a pressão de sem-teto e servidores do Hospital da Vida, todos reivindicando direitos.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE