Justiça determina afastamento de homem que ateou fogo na casa de ex-namorada

| TJMS


Foram apresentadas para apreciação da justiça na manhã desta segunda-feira (11) os 21 autos de prisão em flagrante lavrados ao longo do último final de semana. Dentre os mais diversos crimes, destacou-se a prisão de um homem suspeito de ameaçar a ex-namorada, esfaquear seu amigo e atear fogo em sua casa.

Em meados de 2019, uma cabeleireira e manicure residente no bairro Jardim Tijuca, em Campo Grande, começou a se relacionar casualmente com um rapaz de 18 anos. No mês passado, a mulher decidiu encerrar os encontros, haja vista, entre outros motivos, várias pessoas alertarem-na que o jovem possuía histórico de violência. O estudante, porém, não aceitou o fim do relacionamento e, por várias vezes, foi visto nos arredores da casa dela, fazendo o que, parecia à própria vítima, rondas.

Na noite do último sábado (9), a profissional da beleza de 27 anos recebia em sua moradia um homem que conhecera pela internet. De repente, ambos foram surpreendidos pela presença do jovem já dentro da casa com uma faca em mãos. O rapaz havia passado na frente da residência dela, visto um veículo desconhecido e, por considerar que sua ex-namorada estava o traindo, arrombou a porta da frente, apossou-se de uma faca na cozinha e passou a ameaçar os dois.

A mulher conseguiu fugir até vizinhos, de onde já acionou a polícia, mas o homem recebeu várias facadas, ficando com cortes na região do pescoço e antebraço esquerdo. Após luta corporal, contudo, a segunda vítima conseguiu sair do local e escapar em seu próprio carro.

Continuando em seu intento criminoso, o estudante cortou a mangueira do botijão de gás da casa, ateou fogo no colchão da vítima e evadiu-se. Uma viatura da Polícia Militar, entretanto, que se deslocara para atender a ocorrência, conseguiu encontrá-lo pouco tempo depois. Durante a prisão em flagrante, o jovem ainda teria proferido diversas ameaças à vítima. Ele foi autuado nos crimes de lesão corporal dolosa, ameaça e incêndio.

Encaminhado o auto de prisão em flagrante para o plantão criminal da Capital, este foi registrado e repassado para 3ª Vara de Violência Doméstica pelo fato de todos os crimes terem sido cometidos no âmbito de aplicação da Lei Maria da Penha.

Além disso, foi realizado pedido de medidas protetivas contra o agressor. Deste modo, a juíza Mariel Cavalin dos Santos, em sede de plantão, determinou que o requerido se abstenha de manter contato, tanto com a ex, quanto com o homem agredido e outras testemunhas, por quaisquer meios, inclusive redes sociais e aplicativos de conversa, assim como não se aproximar destes ou das suas residências, mantendo uma distância mínima de 200 metros, sob pena de desobediência e eventual decreto de prisão posterior.

A conversão da prisão em flagrante em preventiva ainda está sob análise da justiça.