Leia Coluna do Jonas desta segunda,28

| ASSESSORIA


Jonas Alves da Silva (Silva Junior) - Foto: Divulgação

Segunda-feira, 28 de dezembro - Dia do salva-vidas

Pensamento: "Ame alguém, mas por favor, comece por você."

Musica: Olhando para o céu - Trio Esperança (Indicação DJ Mateus Gnuztman)

Niver: Laércio Costa Silva, Doreli Portella, Jeferson Antunes Sambugaro - Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios. Salmos 90:12...Salud Felicitá Dios Lhe Bendiga

2020, um ano para ser esquecido (?)

Estamos na última semana do ano de 2020, enfrentando uma epidema do coronavírus que, ao que parece, não dá sinais de que vai parar tão cedo de fazer vítimas e mais vítimas em todo o mundo.

Muita gente diz que 2020 é um ano para ser esquecido e ser apagado da memória. No entanto, acreditamos que deve ser o contrário. Trata-se de um ano que jamais poderá ser esquecido, porque, apesar dos pesares, trouxe exemplos importantes para a humanidade que está cada vez mais egoísta.

A solidariedade entre as pessoas, por exemplo, nunca esteve tão presente, como agora. Isso só está acontecendo devido à regra do distanciamento.

Cuidados pessoais, como a higiene, o uso de máscara, enfim, várias medidas tiveram quer adotadas pelas pessoas para evitar o vírus da doença.

A economia, em todo o mundo foi afetada, causando inúmeros transtornos.

Na verdade, a covid-19 causou estragos em todos os setores da vida das pessoas: trabalho, educação, saúde, entretenimento, lazer, transportes, enfim, um ano que a gente jamais poderá esquecer, porque, serviu, apesar dos pesares, para deixar um alerta: não existe ninguém melhor do que ninguém.

Correndo contra o tempo

Cientistas, em todo o mundo, estão correndo contra o tempo em busca de uma vacina eficaz para conter o novo coronavírus.

Em alguns países, vacinas estão sendo aplicadas, mas, por enquanto, ninguém pode apostar em resultados satisfatórios.

Na política

Nas eleições municipais realizadas em todo o País, em novembro, foram adotadas várias medidas de prevenção em prol dos eleitores e das pessoas que trabalharam na secções eleitorais.

Não ocorreu nenhuma anormalidade nesta questão. Mesmo assim, muita gente criticou a realização das eleições, devido ao grupamento de pessoas.

Sem distinção

Muitos políticos, em todo o Brasil, contraíram o novo coronavírus. Uns morreram, outros, passaram um susto danado.

Na verdade, a doença não escolhe se a pessoa é rica ou pobre e se é autoridade, ou não. De presidente da República a ministros, passando por governadores, deputados, prefeitos, vereadores e assessores, provaram o gosto amargo. O coronavírus não respeita classe social, cor, religião e nem o time de futebol preferido.

Não estão nem aí

Apesar da catástrofe mundial, nacional, estadual, municipal e distrital, as festas de arromba continuam acontecendo Brasil afora, como se nada de anormal estivesse ocorrendo.

Essas pessoas, principalmente jovens e irresponsáveis, não estão nem aí consigo mesmo e nem com seus familiares, infelizmente.

São Tomé

Muitas pessoas, principalmente adeptas da linha política direitista, não acreditam e não estão nem aí para o novo coronavírus. E fazem festas.

São adeptas do “só acredito vendo” de São Tomé, apóstolo de Cristo. Infelizmente.

191 mil mortes

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h de domingo (27), segundo o portal G1.

O país registrou 331 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 191.146 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 625. A variação foi de -4% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de estabilidade nos óbitos pela doença.

7,4 milhões

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 7.481.400 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 16.472 desses confirmados no último dia.

A média móvel nos últimos 7 dias foi de 34.864 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de -19% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de queda nos diagnósticos.

Vidas perdidas

No Boletim Covid-19 de sábado (26), divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde, 12 municípios registraram óbitos causados pelo novo coronavírus. Foram 22 vidas perdidas no total, uma taxa de letalidade de 1,7%.

Nas últimas 24 horas houve registro de 290 novos casos da doença em todo o MS. O total de positivos desde o início da Pandemia vai para 128.164 pessoas. Deste total, 11.663 conseguiu se recuperar.

Incidência

Os municípios com maior incidência de novos positivos continuam sendo Campo Grande, com 86; Corumbá +30; Dourados e Maracaju +25; Anastácio +18 e os municípios de Aquidauana e Itaporã com mais 15 novos casos.

As cidades que registraram óbitos foram Campo Grande(10); Caarapó (3); Coxim (2) ; Bataguassu, Ladário, Bonito, Itaporã. Amambai, Dourados, Glória de Dourados, Pedro Gomes e Rio Verde, um óbito cada.

Telefones úteis

em Dourados

Quantas vezes a gente já precisou fazer uma ligação de emergência, mas não lembrou ou não sabia o número do telefone. Pensando nisso, a Gazeta MS publica alguns números que, se for preciso, serão facilmente encontrado.

Anota aí:

Polícia Militar: 190

Bombeiros: 193

Guarda Municipal: 199 e 153

Polícia Rodoviária Federal (PRF): 191

Polícia Rodoviária Estadual (PRE): 198

SAMU: 192

Polícia Civil - SIG (67) 3411-8080

Aeroporto (67) 3411-7936

Utilidade Publica

O DOF mantém um canal aberto direto com o cidadão para tirar dúvidas, receber reclamações e denúncias anônimas, através do telefone 0800 647-6300. Não precisa se identificar e, a ligação, será mantida em absoluto sigilo. O serviço funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.
Logo publicaremos outros números de emergência.

Whatsapp (67) 9 9943-9810

 

[email protected]

 

 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE