IFMS divulga resultado de pesquisa sobre aulas em ambientes virtuais

Mais de dois mil participantes, entre estudantes, professores e demais servidores da área de ensino, responderam ao questionário online.

| ASSESSORIA


O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) divulgou nesta terça-feira, 5, o resultado da pesquisa sobre as atividades de ensino não presenciais, adotadas pela instituição há cerca de um mês em virtude da pandemia de Covid-19.

A pesquisa foi aplicada entre 24 e 29 de abril e teve a participação de estudantes dos cursos técnicos integrados, da Educação de Jovens e Adultos (Proeja), dos cursos técnicos subsequentes, de Formação Inicial e Continuada (FIC), da graduação e pós-graduação, além de professores, pedagogos, técnicos de assuntos educacionais, assistentes de alunos, servidores das bibliotecas e psicólogos.

Dos 2.086 participantes, 79% são estudantes - a maioria de cursos técnicos integrados (67,5%) e da graduação (24,3%) -, e os outros 21% correspondem a docentes e demais servidores da área do ensino.

Para 31,4% dos estudantes que participaram da pesquisa, as atividades não presenciais são consideradas ótimas ou boas, sendo normais para 34,1% e ruins ou péssimas para 34,5%.

O levantamento indica ainda que 55,7% aprovam a adoção de aulas em ambientes virtuais. Os outros 44,3% consideram que a instituição deveria ter suspendido o calendário e adotado a reposição das aulas após o período de isolamento social.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE