Jeferson Bezerra defende o corte de 90% dos cargos comissionados na prefeitura

| ASSESSORIA


Jeferson Bezerra propõe a extinção da Coordenadoria Indígena e Agetran: "Chega de cabide de emprego"

Candidato a prefeito de Dourados, o jornalista Jeferson Bezerra (PMN) concedeu entrevista exclusiva ao Diário MS e declarou que pretende extinguir a Coordenadoria de Assuntos Indígenas e a Agência Municipal de Transporte de Trânsito (Agetran), pois são órgãos que não atingiram as suas metas institucionais desde as administrações anteriores. "Primeiro que a Coordenadoria Indígena é ligada diretamente ao Gabinete do Prefeito Municipal, foi criada para atender um acordo político com um ex-vereador, o setor está funcionando totalmente com servidores comissionados, isso vai acabar, prefiro fortalecer o Centro de Referência em Assistência Social (Cras/Indígena) já existente na Reserva Indígena, pois aquela equipe pode perfeitamente suprir as funções exercidas por essa Coordenadoria nas políticas públicas", frisou. 
 
"Outra situação é que a maioria dos servidores efetivados na Agetran no último concurso, já pediram exoneração das funções para se dedicarem a outras atividades com maior remuneração, isso considerando que grande parte deles reclamam que não possuem nenhum incentivo para evolução na tabela salarial, fora que a função dos agentes de trânsito requer formações continuadas, mas isso jamais foi incentivado pelas antigas administrações. Portanto, vou criar a Superintendência de Trânsito congênere à Agetran, mas sendo subordinada à Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, todos esses projetos serão apreciados no Legislativo", explicou. 
 
 
Jeferson afirma que a Prefeitura de Dourados não pode ser considerada um dos maiores cabides de emprego no Mato Grosso do Sul. "Tanto a Agetran como os Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializada em Assistência Social (Creas) serão coordenados por servidores do quadro permanente, desde que tenham nível superior, precisamos moralizar a gestão, inclusive propondo o corte de 90% dos cargos comissionados", finalizou Bezerra.
 
 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE