Para quem vai viajar no feriado, cuidados devem ir além da biossegurança

| ASSESSORIA


Com o feriado de Finados, do dia 02 de novembro, caindo em uma segunda-feira, muitas pessoas vão realizar viagens curtas para descanso e lazer. Infelizmente, este é um momento que aumenta a possibilidade de furtos e roubos nas residências, diante da ausência dos moradores.

Confira, portanto, as dicas da Polícia Civil que podem evitar possíveis transtornos:

A porta da cozinha deve ser protegida e a área tem que ser isolada do restante da casa com o trancamento das portas intermediárias. Isso porque os arrombamentos são mais frequentes pelos acessos dos fundos dos imóveis;
Não guarde objetos de valores em casa. Faça seguro deles e confie a custódia a cofres de bancos. Se preferir, use cofres de segurança dentro da residência, mas sempre que possível instale mais de um, sendo um deles fora dos aposentos particulares;
Os alarmes sonoros ou luminosos devem ser testados periodicamente. Isso melhora a segurança e também ajuda os vizinhos que, avisados, reconhecem com facilidade o sistema e podem ajudar em caso de perigo;
Faça o máximo para dificultar a ação de delinquentes, desde a colocação de trincos e travas nas portas e janelas até trancas, correntes e cadeados nos pontos mais vulneráveis. Improvise as defesas conforme necessidade;
Conheça seus vizinhos e combine com eles medidas de auxílio mútuo. A solidariedade é importante nos momentos de perigo. Os vizinhos devem estar sempre alerta pela segurança de sua rua ou bairro;
Mantenha luzes acesas durante a noite e combine com vizinhos de confiança para que fiquem responsáveis por monitorar a casa e evitar jornais e correspondências acumuladas;
Não divulgue em redes sociais que vai sair a passeio;
Leve as chaves da casa com você. Não deixe a chave de sua residência em um local inapropriado como debaixo do tapete, próximo à janela ou a um vaso de plantas, por exemplo, pois é uma deixa para que o ladrão a encontre;
Em condomínios fechados ou edifícios, não deixe as chaves na portaria.
Bruno Chaves, Subsecretaria de Comunicação (Subcom), com informações da Polícia Civil



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE