Afinal, qual é a importância da avaliação reprodutiva em bovinos?

| SHOP VETERINáRIO


Fazer a avaliação reprodutiva em bovinos é um passo essencial para produtores e médicos veterinários que desejam obter eficiência na produção. Por isso, antes de aplicar qualquer biotécnica reprodutiva, é essencial realizar uma detalhada investigação do estado clínico e físico dos animais. 

Caso contrário, todo o investimento feito pode ser perdido, uma vez que, ao manejar animais inférteis ou subférteis, as chances de retorno são bem menores. Vale a pena lembrar que, ao contrário de que muitos produtores pensam, a avaliação reprodutiva deve ser feita tanto em fêmeas quanto em machos, por meio do exame andrológico. 

O médico veterinário que atua na área reprodução bovina precisa estar apto para fazer as avaliações físicas externas e também os exames no trato reprodutivo, utilizando recursos de imagem, como o ultrassom veterinário. 

Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre a avaliação reprodutiva em bovinos, destacando as diferenças entre fêmeas e machos. Continue a leitura e saiba mais! 

Casos em que a avaliação reprodutiva em bovinos é essencial

A avaliação reprodutiva em bovinos deve ser uma etapa obrigatória no manejo do rebanho, tanto de corte como de leite. Antes de iniciar qualquer procedimento, o médico veterinário deve submeter o animal a uma série de exames. Assim, atestar a sua capacidade de produzir descendentes. 

As principais biotécnicas que dependem da avaliação dos bovinos são: 

inseminação artificial; 

inseminação artificial em tempo fixo (IATF); 

aspiração folicular; 

fertilização in vitro

transferência de embriões.

É importante destacar que a avaliação reprodutiva em bovinos deve ser feita tanto nos machos reprodutores, doadores de embriões, quanto nas fêmeas. Sejam receptoras ou doadoras. No caso das fêmeas receptoras, ela precisa de apresentar características reprodutivas satisfatórias, um bom escore corporal e condições físicas para manter a gestação saudável até o final.  

Já as fêmeas receptoras precisam ter boa saúde e não apresentar nenhum problema congênito. O mesmo vale para os touros, que precisam estar aptos para realizar a monta ou doar material genético.

Como são os feitos os procedimentos? 

Avaliação ginecológica em fêmeas bovinas

Primeiramente, antes de realizar o exame ginecológico em fêmeas bovinas é imprescindível consultar o seu histórico reprodutivo. Apenas com esses dados será possível saber sobre os índices de fertilidade e o registro de patologias. Depois da consulta e anamnese, os animais precisam ser contidos de maneira adequadas para evitar acidentes. 

A avaliação ginecológica deve contar com algumas etapas. As principais são a inspeção clínica dos animais, avaliação do escore corporal, condição física, observação de sangramentos e corrimentos e a existência de processos infecciosos ou qualquer outro fator que possa interferir na fertilidade do animal. 

O procedimento deve se iniciar com a palpação retal. Esse é um método tradicional de avaliação do sistema reprodutivo capaz de identificar estruturas ovarianas, patologias e gestação. Para fazer esse procedimento é preciso ter conhecimento profundo sobre anatomia interna animal.

Devido às suas características físicas distintas e posição anatômica relativamente constante, a cérvix deve ser o ponto de partida no exame de toque retal. Esta estrutura deve ser examinada de acordo com seu tamanho, forma, posição, consistência e motilidade.

A avaliação ginecológica com a ultrassonografia veterinária também é importante. O exame serve para identificação de patologias no trato reprodutivo e também para avaliar o período do ciclo reprodutivo no qual ela se encontra. 

No útero, a ultrassonografia deve ser feita ajustando o transdutor para obter uma imagem mais nítida do colo uterino. A avaliação correta deve priorizar a aparência das estruturas presentes em seu interior e nos ovários e a determinação o estágio estral. Por exemplo, no período do diestro, a textura é mais uniforme, enquanto no estro, ela se torna mais grosseira e volumosa. 

Por meio da avaliação, é possível também observar a consistência dos fluidos uterinos e observar a presença de metrite ou piometra, que tem graus variados. Isso é importante pois, a fêmea bovina dificilmente acumula fluidos no interior do útero. Assim, caso o volume seja aumentado, é possível identificar a presença de uma infecção que deve ser tratada logo.

Já nos ovários, a ultrassonografia permite avaliar a dinâmica do desenvolvimento folicular. Também é possível utilizar o método para observar o corpo lúteo, que é detectável em um ou dois dias depois da ovulação. Isso é importante para determinar com certeza qual o melhor momento de realizar a monta natural ou a inseminação. 

Exame andrológico em bovinos

A avaliação reprodutiva em bovinos machos deve ser feita a partir do exame andrológico, que é essencial para atestar: 

condição física;

estrutura do sistema locomotor;

histórico de saúde;

fatores hereditários;

saúde dos órgãos genitais;

qualidade do sêmen.

O exame é composto por quatro etapas. A primeira delas é o exame geral, no qual o médico veterinário deve fazer uma avaliação clínica do animal. Nesse momento deve verificar a sua sua saúde, histórico de doenças, aparelho locomotor, frequência cardíaca e respiratória. Outras condições que possam atrapalhar na monta natural ou coleta de sêmen também precisam ser consideradas. 

Em seguida, deve-se prosseguir com um exame do sistema genital, tanto no que diz respeito às estruturas externas quanto internas. 

Os órgãos genitais externos podem ser avaliados por meio da inspeção e da palpação. Já, para examinar as estruturas internas é necessário o uso de um aparelho de ultrassom veterinário. Com a ultrassonografia é possível enxergar o tamanho e presença de alterações com alto grau de confiabilidade.

O comportamento sexual do touro também passa por observações. Afinal um dos principais aspectos da monta é que o animal seja capaz de identificar as fêmeas em estro. Para realizar essa etapa é importante que o profissional observe como o animal se comporta perto das fêmeas no período reprodutivo. 

Por fim, a última etapa do exame andrológico em bovinos é o espermograma. Trata-se da coleta e análise do sêmen do reprodutor a fim de de identificar se ele está apto para a fecundação. 

Mesmo que seja um pouco negligenciado por muitos produtores, existem diversas vantagens de se realizar o exame andrológico em bovinos. Uma das principais é aumentar a lucratividade já que evita que as fêmeas sejam montadas por touros inférteis ou subférteis. Assim, reduz o risco de perder o período de estro sem gestação.

De forma geral, realizar a avaliação reprodutiva em bovinos é uma etapa primordial para o sucesso da aplicação de biotécnicas. Por isso, não deve ser negligenciado. vale a pena investir em aquisição de conhecimento na área para entender melhor sobre a anatomia do animal. E claro, também investir em equipamentos de qualidade para fazer os diagnósticos.

Quer saber mais sobre reprodução bovina? Confira este artigo sobre Reprodução e produção bovina: aspectos e técnicas fundamentais para ter sucesso na área!



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE